Páginas

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O meu parto II

Depois de estar em "sofrimento" quase 12 horas e depois de umas quantas doses de epidural e não sei quantas contracções o trabalho de parto retrocedia e a dilatação em 12 horas chegou apenas ao 3cm.


Lá fomos para o bloco, dei um beijo ao meu marido e disseram-lhe que depois o chamariam assim que ele me pudesse ver.


Vi nos olhos dele um pouco de desilusão e nervosismo.


Então ao chegar ao bloco operatório ia tendo um ataque de pânico pelo tempo que estava a demorar e pelos nervos que estava a sentir, fazer uma cesariana é a coisa mais desconfortável do mundo, pois tive de estar de braços abertos quase uma hora e com uma máscara de oxigénio a tapar-me o nariz em vez de me deixar respirar.


Os médicos que em vez de tornarem o processo célere, punham-se na conversa, punham musica e riam enquanto o meu nervosismo aumentava, deram-me a epidural e começaram então a cirurgia.


Para quem não sabe na cesariana sente-se tudo, desde o corte, ao colocarem as "molas" para manterem o corte bem aberto, até o "arrancarem" o bebé se sente parece que vou eu também atrás.


Eu só gemia de dores (psicológicas) porque o que eu estava a sentir eram apenas impressões mas que me faziam sentir muito mal, a médica fazia-me festinhas na cara e dizia que não me estava a doer mas mesmo assim custou muito.


Depois de uns 45 minutos oiço um leve choro, eu procuro com os olhos mas não vejo nada, entretanto oiço a  médica dizer "oh mãe você já não está a ter um recém nascido, já é um bebé com um mês e é tão lindo que pode pensar em fazer a menina" isto tudo ainda eu não tinha visto o meu amorzinho, depois perguntou-me a quem é que ele saía loirinho e lá mo trouxe, disse para eu tirar a máscara e para dar um beijo ao meu bebé, aí as emoções vieram todas á flor da pele, dei-lhe muitos muitos beijinhos, assim que o vi lindo, sossegadinho, parecia um anjinho.


Depois começou a etapa da costura, lá me cozeram e mais uma vez senti tudo, cada ponto que eu levava quase que o meu corpo se levantava da marquesa atrás da agulha ou lá que era.


Enfim, troquei de marquesa com muita dificuldade pois não mexia as pernas, deram-me o meu menino que eu já não larguei mais e fomos para o recobro esperar ansiosamente pelo pai que só deixaram entrar quase uma hora depois.


Assim que entrou só dizia, temos um filho tão lindo e temos mesmo, foi um momento único, especial, estamos rendidos.


E pronto assim foi, a recuperação não foi fácil nos primeiros dias, tive uma noite muito mal cheia de tremores devido á morfina, e nessa noite não consegui alimentar o meu filho que levaram para dar suplemento, ele não gostou e não comeu nada e eu só chorava por não o conseguir alimentar e achar-me uma inútil.


Não foi fácil, a primeira vez que coloquei os pés no chão parecia que a costura iria abrir e que não me ia aguentar em pé, mas gostei muito das enfermeiras que foram sempre muito queridas e atenciosas e explicavam sempre tudo e ajudavam sempre que era preciso.


Infelizmente o meu menino pega na mama, apenas com o mamilo de silicone e assim continua até hoje, elas lá me disseram que por ser um bebé grande deve comer de duas em duas horas e andavam sempre a medir-lhe a glicémia porque sempre que descia ele começava a tremer, entretanto tenho esticado até as trez horas por ser demasiado cansativo tanto para mim como para ele e tem estado a correr bem, espero que ele tenha aumentado de peso até agora.


E assim foi, tudo passou muito rápido, e eu passaria por tudo de novo só para ter o meu tesourinho aqui comigo, mas enquanto me lembrar não quero mais filhos, vou-me dedicar de corpo e alma ao meu Francisquinho.


Ao sairmos da maternidade não havia uma peça de roupa que servisse ao pequeno que coitado teve de sair com um body e um casaco, calças de ganga e ténis e tapadinho com mantas, pois eu só tinha roupa de recém nascido e ele já veste para um mês.


Lá tiramos o alarme, passamos na segurança que averiguou se ele ia em seguro e saimos em direcção a uma nova vida, a uma vida de pais, de responsabilidade de muito amor e carinho e acima de tudo de muita paciência e compreensão. 


Tenho o melhor filho do mundo é só o que posso dizer. Amo-te meu principe.

6 comentários:

  1. Muitos parabéns, o teu bebé é lindooooo! E enorme, parece um bebé mais velho! Sei bem o que é dar à luz um bebé tão grande,a minha Carolina tinha 4105kg, não é fácil! O Francisco ainda é maior! 54 cm?!Que homem grande! LOL
    Tudo de bom para vocês, agora vão ser só coisas boas, vais esquecer todas essas dores num instant,e vais ver! Continuação de boa recuperação! *

    ResponderExcluir
  2. Oh amiga que bonito relato.
    Foi pena teres que sofrer essas 12 horas mas é cmo disseste, para os ter nós fazemos qualquer coisa.
    Agora curte muito esse meninão lindo pois passa tudo num instante.
    Sabes que podes sempre contar comigo para o que precisares.

    Um beijinho grande em vcs dois.

    ResponderExcluir
  3. Que ignorante que sou.. Eu pensei que cesariana, não se sentia absolutamente nada.. Até pensei que fosse com anestesia geral, sei lá.. :X

    Ainda bem que correu tudo bem e espero que o Francisco esteja a se portar bem! hehe ;) Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Gostei de ler mais um relato de parto.
    Assim ficamos mais informadas e preparadas caso aconteça conosco.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  5. Oh querida não tenho recebido as actualizações do teu blog, já tinha tentado aceder e não consegui!
    Até fiquei um pouco preocupada, mas ainda bem que está tudo bem!
    Muitos parabéns e muitsa felicidades!

    ResponderExcluir
  6. Muitos muitos parabéns :D arrepiei-me com o teu relato :)

    ResponderExcluir